Arquivo mensal: fevereiro 2012

±50 minutos com um gerador de assuntos aleatórios

Pois bem, hoje a ideia é rápida e direta. Vou passar os trinta minutos após a conclusão dessa introdução gerando assuntos aleatórios e os comentando em parágrafos curtos. Se a brincadeira render, provavelmente aumentarei o período para uma ou duas horas. Vocês saberão. Claro, assumindo que alguém leia isso aqui.

Audio recording
Bem… gravar som não é algo tão emocionante assim, confesso que esperava mais do primeiro tema. Entretanto, devo admitir que tenho algo para falar sobre o assunto. Trata-se daquela primeira decepção, que qualquer pessoa já deve ter sofrido, ao ouvir sua própria voz. Sim, meu amigo, aquele ogro desconexo ou a moça com voz anasalada é o seu verdadeiro eu. Conforme-se com o seu futuro como cantor que nunca irá existir.


Um objeto proveniente de tempos que não voltarão mais, cujos valores histórico e estético tentam ser resgatados por um grupo de pessoas que são rotuladas como “hipsters” ou “vintagers” ou apenas colectores de bugigangas. Se o objeto acima te provoca um desejo consumista, bem, devo admitir que suas chances de cura beiram a nulidade. Boa sorte com a vida.

European architecture
Novamente, superestimado, o tema não faz juz. Por enquanto o tempo não será prolongado. O que diabos falar de arquitetura europeia? Ela, certamente, é fascinante, mas não tenho o mínimo know-how para sequer abordar o assunto. Mas, afinal, qual é o know-how que eu tenho para abordar qualquer assunto em particular?

Baseball records
Okay. Baseball é um jogo estranho a nós, brasileiros, de modo geral. Embora eu tenha passado horas realmente divertidas com um jogo de Playstation (em japonês, o que, por sinal, não é uma surpresa, já que o esporte é terrivelmente popular por lá), como dizia, apesar das horas de diversão, o esporte ainda apresenta uma certa estranheza. Prefiro o urbano e muitíssimo mais perigoso (afinal, sempre há bueiros para perder bolinhas) bet’s, taco, tacape para fazer a bolinha alçar o voo mais longínquo possível e fazer seus amigos perderem qualquer fôlego tentando busca-la. Sem falar na técnica extremamente rudimentar de marcar um dos lados do taco com uma bela cusparada afim de descobrir quem terá a inglória missão de começar tentando acertar as garrafas de Coca-Cola. Eu confesso que nunca gostei daqueles tripés pré-fabricados que nunca eram acertados.

Languages of Europe
A Europa, novamente. Céus. Depois que desenvolvo mania de perseguição… então, as línguas faladas naquele continente demonstram a mosaicidade (um termo que soa como um vinil sendo riscado por uma faca de serrinha) daquela região. A Europa é totalmente fragmentada e, talvez, parte da beleza deste continente advenha disso. A ideia de atravessar países com as dimensões de estados e nos deparar com uma variedade cultural e, principalmente, linguística, é algo que me chama a atenção. Ainda assim, sou adepto da ideia de que o Brasil, exatamente por ser tão grande, tem um quê de vários países em um mesmo território. O que o faz algo interessantíssimo para se conhecer. Um dia ainda vou ter dinheiro para isso e para a Europa. Vocês vão ver.

The difficulties of adoption
As dificuldades da adoção são muitas. Se já trememos com a possibilidade de criar um filho que tenha laços biologicamente traçados, imagine só a mesma ideia com alguém que já teve sua socialização iniciada. Não é uma desculpa, afinal, eu acho que faria, mas é, como o título sugere, uma dificuldade somada. Sucita inúmeras outras questões, às quais tenho respostas teóricas, mas, nesse caso, seriam postas à prova prática. Somos produtos do meio? O cultural subjuga o biológico? Traumas na tenra infância tornam-se fantasmas para a vida? Eu acredito que é um desafio a mais, que pode colocar um sabor mais especial na paternidade. Eu certamente vou procurar ajuda terapêutica na tentativa de educar meus filhos, sejam eles adotados ou não. Espero que eu consiga fazer um bom trabalho.

Running in the morning
Correr é essencialmente uma das coisas que pretendo para esse ano. Mais precisamente conseguir correr 10km por dia, por pelo menos quatro dias da semana. É pretencioso, mas eu acho um dos esportes mais dignos e completos que possam existir. É um tempo para refletir, em meio a uma tentativa de escapar de atropelamentos. É uma atividade para a saúde, para uma autoestima melhor. Só preciso vencer a procrastinação, que insiste em me enraizar em uma cama e a um notebook. Para mim, correr de manhã, principalmente em uma praia, já que nós, brasileiros, temos de nos contentar com o nascer do sol, soa como uma das atividades mais orgasmáticas que podem ser feitas sem atingir o orgasmo. Céus…

The African rain forests
Difícil falar sobre isso, visto que o processo exploratório sofrido pela África fez esse país perder-se aos olhos do resto do mundo. É triste, mas infelizmente tenho pouquíssimo a falar sobre isso. Jogar a culpa em portugueses, estadunidenses ou na própria história não me exime da culpa. Feels bad bro.

Tylenol or Aspirin?
Tylenol.

Places to visit in Russia
Certamente, o chão russo, após doses de vodka russa, parece uma ótima pedida. Brincadeiras postas de lado: a Rússia parece um país formidável, em todos os sentidos. Sentir os ecos do regime stalinista, ver o confronto de realidades, fora a neve. Places to visit in Russia? Every fucking where.

Converting symbols to digital form
Estou tentando compreender as nuances dessa pergunta. Mas quem pode, talvez, falar mais sobre isso sejam os portadores de teclados chineses.

 Anaerobic exercises
Tive que confirmar no Google se tais exercícios existiam, porque, fui obrigado a pensar que se tratava de uma junção errônea de duas palavras. Parecerei burro depois que revelar o que são essas maldições. É por isso que não vou fazer. Próxima…

Creating your own guitar riffs
Se você tem pretensões de ser um guitarrista, provavelmente é um caminho errôneo. O negócio mesmo é copiar.

The basics of music theory
Dó ré mi fá sol lá si, sustenidos e bemóis entre essas. Tônica, terça e quinta para formar um acorde básico. Tem o acorde menor, mas eu não lembro exatamente a composição dele. Quando tiver um “com sétima” após o acorde, significa que ele contém a sétima nota também. Tem um negócio de tom, tom, semitom, mas eu não vou lembrar. Desculpe-me Dgeison, por estar te decepcionando para 0 leitores.

Museum of fine arts
They’re fine.

New York Art
Estou usando o Google, mas acredito que seja uma arte deveras variada e cosmopolita, interessantíssima, se querem minha opinião. Acho que New York está para o mundo assim como São Paulo está para o Brasil. É uma das grandes capitais do mundo, logo, sua produção cultural é obviamente notável. Como vocês podem notar, estou enrolando. Vou é postar um exemplo de arte novaiorquina e vocês fiquem satisfeitos.

 
Um homem vestido de papai noel em uma pista extremamente molhada se mostra confuso com a aparente disformidade que os carros apresentam enquanto uma pessoa ao fundo tenta ler um outdoor visivelmente distorcido da Coca-Cola. Há ainda uma assinatura flutuando no aconto inferior direito, o que chama a atenção para a estranha formação que os toldos estão apresentando. Mesmo assim, é uma ótima obra de arte, vamos aprecia-la.

Learning how to play violin
Música tem se mostrado um assunto recorrente. Adoraria saber tocar violino ou viola ou violoncelo ou contra-baixo(?), adoraria fazer parte de uma orquestra. A última vez que ouvi música clássica, confesso que senti um arrepio no meio da minha coluna. Espero que isso não indique tendências suicidas, acho que não.

Famous Spanish painters
Salvador Dalí

Bem, é com esse gênio místico do subterrâneo das partículas atômicas da realidade aparente, cuja complexidade se torna uma mistura homogênea de argônio e zinco, bem, é com esse amontoado célular compostas de basicamente água e algumas sinapses que exalavam genialidade que fica sacramentado o fim dessa ideia. Foram, na verdade, pouco mais de cinquenta minutos e foi uma experiência agradável. Espero que a aleatoriedade não seja um problema para você, já que ela te espera fora desse texto, na chamada vida real. Boa sorte com ela. Até mais.

Um Cão Andaluz

Toda pessoa que se considera normal já se deparou com o maravilhoso e deslumbrante universo onírico. Os sonhos exercem fascínio e desafiam todas as noções, sejam as lógicas como as ilógicas. Não é a toa que os sonhos surjam em tantos aspectos do cotidiano, estejam no discurso do Luther King ou mesmo como uma tentativa de aumentar suas chances com uma garota com quem você está em friendzone (seu virjão). Dizer que sonhou com ela, e omitir a parte em que você imaginou ter sexo com ela, provavelmente não vai funcionar.

Como faz com TUDO o que envolve essa criatura bizonha que atende pela alcunha de ser humano, a arte reflete essa aura misteriosa dos sonhos. Pois bem. Um Cão Andaluz é um exemplo disso. O surrealismo, assunto de uma aula de Literatura em que você provavelmente estava babando sobre seu caderno, praticando e não aprendendo a teoria, foi um movimento profundamente influenciado por um vislumbre em um universo totalmente estranho. Nada se sabia sobre os sonhos.


Se você tem uma tia espírita, ela provavelmente já te aterrorizou com essa ideia

A paralisia do sono era, ainda é, na verdade, associada a demônios e espíritos que sentam sobre você, o aspecto alegórico dos sonhos eram premonições místicas, se você acordar um sonâmbulo, ele morrerá… Chega, então, Freud e coloca uma lanterna nessa obscuridade. Céus, isso soa ainda pior do que eu imaginei. Influenciados por um turbilhão de teorias (que podem ter sido influenciadas por um turbilhão de cocaína), os surrealistas resolveram brincar com os sonhos.


Uma pessoa com quem você com certeza gostaria de ter degustado moscas.

Um Cão Andaluz é resultado da união de Salvador Dalí (aquele cara dos reloginhos derretendo) com um senhor chamado Luis Buñuel. Trata-se da representação máxima, é impossível assistir o filme sem sentir um reconhecimento, de um sonho. O filme (com módicos dezesseis minutos) recria perfeitamente a atmosfera onírica, com cenas bastante perturbadoras, devo alertar.

No entanto, nosso amigo ser humano se mostrou incapaz de apreciar e começou a bombardear o filme com tentativas de interpretá-lo. Algumas, fazem um certo sentido, como a ideia de que o filme se trata da viagem ao inconsciente de um assassino (um “argumento” é a passagem onde formigas saem das mãos de uma personagem, o que seria a versão literal da expressão francesa “fourmis dans les paumes”, “formigas nas mãos”, e que significaria “um grande desejo de matar”).

Esquecem-se no entanto, do contexto que permitiu o Surrealismo. O filme foi lançado em 1928, se você não dormiu nas aulas de História sabe que em 29 aconteceu alguma coisa importante. Foi a falência de todo aquele sistema perfeitamente lógico (ainda que caótico) que guiava a economia estadunidense. É óbvio que a arte antecipa as coisas e, nesse caso, foi a vez de antecipar a descrença na própria realidade.

Pois bem, particularmente, acredito que o filme recria tão bem a atmosfera onírica, que nem sinto a necessidade de interpretá-lo. Acredito que os sonhos têm, sim, um significado alegórico, mas ele é totalmente individual e precisa-se da cooperação completa da pessoa que os teve para se chegar à interpretação correta. Nesse caso, Salvador Dalí dorme em paz, embora persista em nossas memórias, e a tentativa de chegar a uma interpretação (o que é, em si, uma tentativa de racionalizar o filme) pode tirar um pouco da magia do filme.


O círculo preto representa a vida como uma tristeza cíclica. A contraposição do preto e do branco indicam que há um elemento além da melancolia. Cabe a você decidir a forma da sua vida. Você vai ser um quadrado? Um círculo? Ou um mosaico multicolorido?

Uma recomendação: assista o filme com a mente aberta. Tente se lembrar da última vez que se pegou quase dormindo e admirou-se com o quão desconexos seus pensamentos pareciam. O filme, em si, pode não te trazer a emoção imediata que um suspense poderia, mas, qual foi a última vez que você refletiu sobre seus sonhos? Você já parou para pensar sobre eles? Cegos congênitos sonham? Você sabia que, comprovadamente, pode ter um sonho lúcido?

Enfim… tantas perguntas, uma afirmação: a cena da navalha é memorável.

http://www.youtube.com/watch?v=020Z8rONCIc